quarta-feira, 9 de maio de 2012

Não sou terreno baldio

Ei, presta bem atenção numa coisa: eu não sou terreno baldio! Não sou lugar abandonado e não habitado. Eu me pertenço. Eu sei o que quero ser. Você não tem o direito de jogar seus entulhos no terreno da minha vida. Não quero sobras. Não quero restos.

Você andou por aí. Em outros terrenos. Deu o que tinha. Talvez o que tinha de melhor. E agora, que não lhe resta mais nada, você vem querendo lançar sobre mim aquilo que é fruto das suas buscas frustradas. Eu não mereço isso. Ninguém merece! Nem você merecia ser tratado com desprezo e amargura. Não te culpo por fazer o que você faz. Mas, não quero o resto. Quero alguém que seja inteiro. Completo.

Ser completo não é fácil pra ninguém. Uma vez que te roubaram tanta coisa bonita. E te deixaram com as mãos vazias. Pior que isso, te deixaram com o coração vazio. Isso é pior. Porém, entenda que isso não te dá o direito de chegar a qualquer momento e jogar os seus entulhos em mim. Não é assim que se deve agir.

Você deve lançar tudo ao vento, tomando o devido cuidado de não machucar ninguém. Com cuidado de não ferir, como você foi ferido. Você deve saber bem o quanto dói ser usado e depois descartado fora. Como lixo. Infelizmente é assim. Muita gente se sente assim, como um lixo. Mas, ninguém é lixo. Eu não sou. Você não é. Eles não são. Somos pessoas preciosas aos olhos de Deus. Somos terreno habitado. Precisamos mostrar ao mundo isso.

O outro não pode chegar e fazer o que quiser. O outro não pode tirar tudo do lugar e deixar uma verdadeira baderna. Se coloque em ordem. Deixe o terreno da sua vida bem limpinho. Quando alguém passar por ele, vai perceber que ali já existe um proprietário. Um bom proprietário que cuida e zela, pelo terreno tão precioso que Deus lhe deu. A vida.

4 comentários:

Traga um sorriso ao meu coração :)